quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Eu, fronheira, me confesso... :)

Tinha comprado tecido de riscas para fazer um par de fronhas. Enganei-me a cortar e por isso comprei mais. Voltei a enganar-me... tornei a comprar. :(
Comprei tanto que depois destas quatro, ainda tenho riscas para mais duas...
Já chegaram à família F., sendo que, além de presentear o casal, presenteei também o filho/criança e a sogra. :)
Os sorrisos no skype, revelaram a surpresa e a alegria das prendas anunciando e festejando, já, o ansiado Natal!










terça-feira, 22 de novembro de 2016

Camisola de caxemira

Tricotei esta camisola com lã de caxemira - cem por cento. Sim, aquela caríssima e delicada que faz parte da composição de peças de requinte e de grande qualidade.
Antes de a comprar, fiz uma pesquisa pela net, para saber se havia tricotadeiras habituadas a trabalhar este tipo de fio e que opiniões tinham sobre o mesmo. Não encontrei ninguém que tivesse feito um trabalho à mão, por mais simples que fosse!
Desta forma, só me restou comprar e experimentar, já que o menino da casa desejava muito uma camisola ultra leve, fofa e quente!
Alguns comentários que poderão ser úteis a quem se quiser aventurar.
Vantagens: 
Lã muito leve, muito delicada, muito fofa, muito quente e muito agradável - diria viciante - no tic, tic das agulhas. :)
Desvantagens: 
Fio pouco/nada elástico. Por exemplo não é possível fazer um cós elástico - o revesilho de meia e liga, depois de alargar não volta à forma inicial. Por este mesmo motivo, não é possível trabalhar qualquer ponto fantasia. Só ao fim de duas dezenas de amostras - literalmente! - é que me lembrei do ponto inglês. Este além de dar textura e macieza ao trabalho, conferiu-lhe a elasticidade que precisava.
Fio mole, quebradiço. Reforcei a costura dos ombros com outra lã e tive de refazer a costura da gola com fio duplo. 
O preço, demasiado elevado - 15 €, o novelo de 25 gr - diria que foi uma extravagância... mas quem as não tem?  Esta foi/é, sem dúvida, a maior desvantagem.
Apesar de tudo, valeu a pena a experiência, o marido está feliz, quente, confortável e vaidoso na sua camisola única e especial. :)

Neste momento questiono-me sobre o que fazer com os quatro novelitos e meio que sobraram...






domingo, 13 de novembro de 2016

Pegas e luvas térmicas

Gosto muito de usar pegas. Gosto de as fazer com tecidos, quanto mais coloridos, melhor. No entanto,  quando ligo o forno para assar ou grelhar, recorro às luvas térmicas.
Estava a precisar de um par de luvas e foi aqui que encontrei o molde que mais me agradou. 
Seguiram-se as pegas, como não podia deixar de ser, feitas com os retalhos das luvas e outros.  Assim fico com as quatro peças a condizer e sempre à mão. :)









 E agora, uma segunda utilização das pegas:


Em jeito de curiosidade, mostro-vos na foto seguinte, as primeiras - e tão tortinhas - pegas. O primeiro trabalho que fiz, quando comprei a máquina de costura. Estão por cima de um pano da loiça, que também bordei. 
Já lá vão cinco anitos, foi por esta altura... :)

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Bolsa e estojo

Ando entretida com as prendas de Natal - que ainda não posso mostrar - mas fiz uma pausa para poder atualizar este cantinho costurar dois mimos com retalhos que seria pecado desperdiçar. :)

Uma bolsa que me acompanhará nas caminhadas diárias. Fiz uma - podem espreitar aqui, o tutorial - mas precisava de outra (bolsas nunca são demais, rs...)!







E um estojo rolinho que, amanhã, vou oferecer. 
Gosto de mimar/premiar os meus alunos que se esforçam por dar o seu melhor - nas atitudes e no aproveitamento. Como lhes digo tantas e tantas vezes: o que conta é o esforço! :)








O tutorial, está aqui!

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Agora sim: para a Sara!

E foi este o estojo que fiz para a Sara: infantil, feminino, simples, delicado... a carinha dela!





Não posso deixar de mostrar o que comprei, aquando da procura do tecido: 


Estes tecidos - Riley Blake - estavam com 30% de desconto e, não resistindo à tentação, enchi a caixa castanha. Bem, não ficou cheia, ficou a abarrotar e por isso tive necessidade de a substituir por outra maior - a branca.


Já aqui o tinha dito mas apetece-me relembrar: 
Depois de comprar os tecidos, lavo-os à mão com Soflan (passe a publicidade) e estendo-os à sombra. Depois de secos, passo-os a ferro pelo avesso, dobro-os sem vincar e guardo-os na caixa dos tesouros. São estes os tesouros que, atualmente, mais gosto de comprar!


Como devem supor, estão já alguns em linha de produção, para presentes de Natal.
Daqui em diante, torna-se difícil atualizar o blog com as novidades que sairão. Mostrarei as minhas prendas e aquelas que se destinam a uma parte da família que não sabe, nem desconfia que tenho um blog (como foi o caso das prendas da Sofia e da Sara).

Nos inícios de dezembro (já não falta assim tanto) começo a enviar o que estiver pronto e aí sim, depois de chegados aos seus senhores, cá virão parar! :)

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Para a Sofia e para a Sara (era)

Serão/seriam dois presentes de Natal. 
Uma bolsa para a bebé Sofia -  a sobrinha mais nova. 




 


E um estojo para a irmã Sara. Era para ser... 
Mas não gostei: o estojo ficou demasiado grande e pouco menineiro/infantil, para uma menina do 2º ano.
Está decidido: vou fazer-lhe outro!

Este fica para mim, parece impossível que até à data nunca me tenha lembrado de me presentear com um estojo em condições. :)






Fiz o forro à parte e cosi-o à mão pela zona do fecho/zíper. Se a costura for feita com fio da cor do fecho (ou aproximada), o trabalho fica lindo, limpo e perfeito. Quase que dava para usar dos dois lados! :)